Andamento do tratamento

Cara Dra Shirley,

gostaria que você me passasse informações de como está evoluindo o projeto dos chips. Existe algum caso em andamento?? Por favor me indique algum caso para que eu possa enviar "recursos".
Até mais,
Paulo

Paciência

Fiquei algumas semanas sendo obrigado a assistir vídeos imbecis sobre como esse negócio na minha cabeça vale a pena. Quero matar todos, argh!

Estou feliz

Estou feliz. Ontem eu não estava, hoje estou.
Tenho muito a agradecer ao meu doutor que me receitou algumas pílulas, ele disse que iam me fazer sentir melhor. Assim eu me esqueço dos problemas. É bom esquecer. Faz bem.
Estão me criticando por estar tomando estas pílulas. Tem gente que acredita nesses revolucionários depressivos que acham importante chorar. Eles podem tentar me desanimar, mas enquanto eu tiver meu medicamento não há nada que me impedirá de me sentir bem sobre mim mesmo. Sobre meu corpo, minha aparência. Eu gosto da minha aparência. Ontem eu não gostava, hoje gosto.

Cautela!

Tenho que tomar cuidado para que o o Dr. Antonio Carlos, meu chefe, não saiba que já estou testando os remédios...

Ager publicus

Sabe... eu nunca tive uma "xará"... as professoras da escola nunca precisaram me chamar pelo segundo nome - bastava só o primeiro. Não havia ninguém com este nome nas várias escolas em que estudei.

Parece bobo, mas era engraçado... Adoro meu nome... MAS....

Toda sala de aula que se preze sempre há duas ou três "danielas", "karinas", "andréas"... "carlas" então, nem se fala! Já o meu nome, tsi... tsi... tsi...

E quando era apresentada a um desconhecido??!

Por óbvio que nunca conseguia me fazer entender rapidamente. Era preciso repetir uma, duas, até três vezes, isso quando não era necessário soletrar e ainda dá lição de gramática:
" não... meu nome é com S, sim, com S sim senhor! o *s* entre duas vogais tem som de *z* sabia? tá lá na gramática, na tal " Segalla" conhece?

Minha mãe sempre dizia que o meu nome era o mesmo de uma grande colega da infância dela, do colégio interno. Essa amiga, filha de diplomatas, teve seu nome gerado a partir das viagens dos pais pelas bandas do oriente... dizia que era de origem grega.

Meu novo projeto...

Bom, com esse negócio do novo projeto não sobra tempo para parar e pensar, é muita correia, tenho uma data limite para testa-lo, o único problema é achar um cobaia, ou melhor, uma pessoa disposta a experimenta-lo.
Estou muito empolgado porque a idéia é muito boa, bom e pra falar a verdade ela nem é minha, mas se tudo der certo Eu assinarei embaixo.

.de volta.

E depois de quase cinco meses reclusos, estamos aqui novamente...De posse de nosso último troféu, resolvi colocá-lo no meio da sala para que servisse como incentivo (assim...como um apelo emocional). Convoquei uma reunião de retorno achando que reencontraria meus companheiros intimidados pela presença daquele suposto policial civil fazendo uma suposta investigação. Que nada! Estamos todos renovados e de volta de nossas férias forçadas!!! A galera andava meio tensa por causa dos rumores sobre intervenções científicas e tals... Mas isso é assunto pra outra hora... Finalmente conseguimos nos instalar num novo Mocó no bairro do Mangue.

Mais um dia normal na fábrica

Tudo parece estar certo.. a produção, o mercado, o lucro... a eliminação de possíveis concorrentes sem deixar provas... tudo vai bem.

Estou assustado...

Não sei nem o que pensar da notícia que acabei de receber... Meu chefe vai começar uma pesquisa onde substâncias químicas serão injetadas no organismo de alguém que esteja com algum problema emocional.
Será necessário que haja voluntários para a fase de experimentação.
Ele parecia estar muito empolgado. Mas eu estou com muito receio das consequências que isso pode trazer... Será que a ciência é capaz de controlar todos os nossos sentimentos?
Até certo ponto acredito que seja benéfico como já acontece atualmente como a ingestão de anti-depressivos e calmantes receitados por um bom psiquiatra...

que exagero! não é bem assim...

Senhora Ana Mouse, a senhora está exagerando...

os chips são apenas para controle de humor; para evitar catástrofes causadas pela perda de controle psíquico.
Com eles podemos evitar assassinatos, por exemplo.
os chips visam o bem estar de todos. Com eles a vida continua normal: os sentimentos, os pensamentos... apenas quando hormônios relativos à agressividade se elevam é que são acionados.
Não considero as pessoas "ratos de laboratório"; muito menos penso que é obrigação que todos usem o chip. Mas em relação as cadeias e presiários sou a favor da implantação em todos sim!